Shōwa Genroku Rakugo Shinjū: uma entrevista com Akira Ishida (Kikuhiko) e Megumi Hayashibara (Miyokichi), parte 2 de 2

Um tipo de conteúdo inédito no blog, dividido em duas partes!

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

Não conferiu a parte 1 da entrevista? Ela está neste link aqui!

 

Nessa segunda parte, os entrevistados falam menos sobre seus personagens e as relações conflituosas do trio trágico de Shōwa Genroku Rakugo Shinjū, e se dedicam mais a falar sobre a arte da dublagem. Principalmente os desafios que enfrentaram em um anime tão cheio de nuances e que ainda envolve a arte performática do rakugo. Com isso, temos alguns insights sobre detalhes técnicos do trabalho de um dublador, bem como o tipo de clima que aguarda os dubladores dentro do estúdio propriamente – e ele pode ficar bem tenso às vezes, por sinal. Megumi Hayashibara, outra vez, é afiada em suas respostas; enquanto Akira Ishida mostra o quanto vê a si mesmo em Kikuhiko. Vamos à parte 2!

 

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

— Repensando agora sobre a primeira temporada de Shōwa Genroku Rakugo Shinjū no geral, há uma ou mais cenas que deixaram alguma impressão profunda em vocês?

Ishida: No final, as cenas mais assustadoras e difíceis foram as de rakugo. Ter que interpretar histórias famosas como “Shinigami” e “Kajika-zawa”¹ desde o início, e executá-las com perfeição… Eu pensava “estas não são histórias que um amador pode simplesmente sair interpretando!” E foi realmente bem desafiador. Uma pessoa inexperiente nesse meio, como eu, precisa assistir uma quantidade razoável de rakugo, para que os padrões de alguns atores² de rakugo começassem a fluir dentro de mim, e eu pudesse sentir coisas como “eu quero executar essa cena de tal modo”. Além disso, tive que lidar com o desafio de como expressar as diferenças nas performances de Kikuhiko à medida que ele melhorava lentamente – quando começamos a dublagem da série, esse quesito me soava incapaz de superar. O rakugo sozinho foi algo que exigiu tudo de mim, então todos esses detalhes extras que eu tinha que prestar atenção me deixavam tipo “Oh, deus!”.

Hayashibara: Como não precisei fazer rakugo, as partes que me desafiaram são diferentes mas, como um todo, as sessões de gravação foram difíceis. Um momento de que me lembro claramente foi quando o diretor de som Tsujitani (Kōji)-san me deu a seguinte instrução: “Ainda falta algo de feminino – soa como se você estivesse tramando, planejando algo”. Quando ouvi isso, eu automaticamente me pus a procurar o lugar onde esse aspecto feminino poderia estar dentro de mim. Ao me ver fazendo isso, Tsujitani-san soltou “Será que a deixei chateada?”, e Yamadera-san respondeu “Oh não, ela jamais se sentiria mal por isso. Eu trabalhei com ela por muitos anos, e eu nunca a vi se sentir mal” (risos). Apesar de “que rude!” ter sido o pensamento imediato em minha cabeça, eu pude notar que essa era a maneira dele demonstrar gentileza e me apoiar. E, por outro lado, apesar de Ishida-san também ter ouvido, ele não reagiu. Ele estava completamente focado em seu próprio trabalho.

Ishida: Não somos próximos o bastante para eu poder dizer alguma coisa, certo? (risos)

Hayashibara: É verdade (risos). Eu sabia disso, mas mesmo assim fiquei tipo “Esse cara realmente se tornou Kiku-san, por completo…”, mesmo enquanto eu continuava a procurar por minhas próprias respostas sozinha. O jeito como todos nós, no estúdio, éramos justapostos por cada um de nossos personagens, me dava vontade de eu mesma nos capturar numa câmera. Não há garantia de que as dificuldades permitirão que você faça um bom trabalho – não importa quanto trabalho você tenha acumulado em sua carreira, há muitas coisas que você simplesmente não pode alcançar. Mas ao forçar-se para tentar alcançá-las, se expondo e tentando de tudo para obter resultados, eventualmente você fará parte de uma grande obra. Me sinto realmente feliz e grata por estar envolvida em tal obra, em tal anime – é uma satisfação.

— Esse anime cava profundamente no mundo das artes performáticas tendo rakugo como foco – existem aspectos dos atores de rakugo que são semelhantes aos dos dubladores/atores?

Ishida: É natural que se faça essa pergunta. Mas se me questiono se eu tenho o mesmo nível de dedicação que Kikuhiko tem para com o seu ofício, pelo qual ele se restringe de todo o resto, se esforçando para alcançar alturas cada vez maiores, eu diria que não. Então, da minha perspectiva, acho que é bem diferente. Eu sei muito bem que algumas coisas caíram do céu para mim.

Hayashibara: Hehe, seu mentiroso (risos).

Ishida: (risos)

Hayashibara: Bem, mas na nossa linha de trabalho, é perfeitamente cabível o uso de improvisos. Isso difere bastante de como o rakugo é algo que floresce das horas e horas de prática. Em contraste, não importa o quanto você se prepare e pratique antes de chegar ao estúdio de gravação, há momentos em que os diretores rejeitarão o que você fez e você precisa jogar sua preparação fora. Se você temer esse tipo de coisa, então não acho que você seja apto para esse tipo de trabalho. Você deve sentir como se “a rejeição fosse a porta para o que vem depois!”.

 

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

 

— Nesse sentido, mesmo que Kikuhiko seja um mestre do rakugo à sua própria maneira, ele sente inveja do rakugo de Sukeroku, não sente? Embora seja provavelmente uma diferença de estilo ao invés de uma diferença de talento, ele não se vê convencido. Isso também acontece no mundo da dublagem/atuação? Vocês já sentiram inveja de outro profissional?

Ishida: Isso é algo que eu sinto frequentemente, na verdade.

Hayashibara: O quão frequente?

Ishida: Quando há algo que não consigo fazer, eu me sentiria um tanto consolado se ninguém mais conseguisse, mas sempre há pessoas que conseguem. E a sensação que você obtém não é nada além de inveja.

Hayashibara: Bem, isso é uma surpresa. Pessoalmente, eu desistiria. “Isso aqui é impossível para mim”.

Ishida: Eu acho que as pessoas que estabeleceram a si mesmas e seus próprios estilos como atores podem se dar a esse direito. Se você é capaz de proclamar “Não consigo fazer X usando o método que eles usam, mas eu consigo usando minha própria abordagem”, então você considera os papéis que você não consegue fazer usando sua abordagem como sendo papéis inaptos a você, e você pode descartá-los.

Hayashibara: Sim, é exatamente isso.

Ishida: E alguém que não se conhece de verdade provavelmente sentirá medo do que não consegue fazer. Eles não conseguem pensar “Bem, está tudo bem, porque eu posso fazer esse outro”, e acabam pensando “Não sou bom, porque não posso fazer essa coisa em específico”. Em vez de se concentrar no fato de que existem coisas que eles conseguem fazer, eles acabam sentindo todo o peso do que são incapazes de fazer. Embora seja terrível que eu esteja dizendo essas coisas mesmo tendo chegado tão longe na vida.

Hayashibara: Só discordo da última frase.

Ishida: Até eu mesmo penso que já deveria ter me estabelecido corretamente (risos).

Hayashibara: Se você pensar por esse lado, então provavelmente há muitas coisas que sou incapaz de fazer. Na minha vida privada também. Isso provavelmente vai parecer piada, mas mesmo quando faço algo tão simples como retirar dinheiro no banco, eu me comporta bem estranhamente. Quando o cartão bancário, o extrato da conta e o dinheiro saem todos ao mesmo tempo, eu entro em pânico (risos). Tenho vários exemplos de coisas impossíveis para mim, e apesar delas não serem um problema quando eu tinha meus vinte e poucos anos e as pessoas dizerem “como ela é fofa por ser desajeitada”, nos últimos anos a coisa tendeu a ser meio fatal. E elas acontecem várias vezes a cada dia. Há momentos em que só posso agradecer às minhas estrelas da sorte por ser capaz de trabalhar como dubladora. Por isso, todas as coisas dentro deste campo de trabalho que eu não consigo fazer também são colocadas na “grande lista das coisas que não consigo fazer”.

 

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

Ishida: Mas esse é o significado de ser “A” dubladora, não é? Embora dizer isso possa ser um pouco grosseiro…

Hayashibara: Bem, eu nunca vi as coisas sob esse ângulo, na verdade… (risos). Nos meus vinte e poucos anos, eu realmente me sentia deprimida quando era incapaz de fazer alguma coisa. E então, por querer ser capaz de fazer tais coisas, tentava com todo afinco, apenas para confirmar minha incapacidade. Apesar disso, no entanto, me tornei alguém que faz tudo bem aos poucos, e alguém capaz de ganhar a vida; e isso me parece algo bom o suficiente.

— Bem, para terminar, vocês poderiam deixar uma mensagem aos fãs do anime?

Hayashibara: Primeiro, espero que o nível de compromisso que toda a staff e elenco envolvidos em Rakugo seja transmitido a você. Ao mesmo tempo, me sinto incrivelmente grata por, entre muitas opções disponíveis, você ter escolhido assistir a esse anime. Esses são meus sentimentos mais francos. A transmissão de TV já terminou mas, nos últimos anos, ganhamos o privilégio de reassistir as coisas através de uma variedade de plataformas, então eu ficaria realmente feliz se você aproveitar a oportunidade para fazer exatamente isso.

Ishida: Na verdade, esta entrevista está acontecendo enquanto Rakugo ainda está sendo exibido, mas eu estou muito grato por saber dos elogios que o anime têm recebido. Eu sou o tipo de pessoa que realmente não presta atenção na recepção dos shows em que apareço, então o fato de que mesmo alguém como eu esteja ouvindo o que as pessoas estão falando sobre Rakugo é, eu imagino, devido ao apelo que esse anime teve para um público tão amplo. Eu espero de verdade que esta boa recepção continue a crescer até o episódio final, de modo a nutrir uma continuidade desse projeto³. É um anime no qual todos os envolvidos têm, em conjunto, dado tudo o que podem para preenchê-lo com amor. Mesmo no estúdio de dublagem, todos nós “torcemos nossos cérebros” e sofremos juntos para criar nossos personagens – eu ficaria incrivelmente feliz se a paixão que depositamos seja transmitida a todos vocês. Estou realmente agradecido a todos que assistirem o show até o fim. Muito obrigado a todos.

 

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

Perfis

Akira Ishida: aniversário em 2 de novembro, nascido em Aichi. Atualmente funcionário da Gerbera Peerless. Seus principais papéis incluem Kaworu Nagisa de Neon Genesis Evangeion, Albert Schumann de Dimension W e Cavendish de One Piece.

Megumi Hayashibara: aniversário em 30 de março, nascida em Tokyo. Freelancer. Seus principais papéis incluem Faye Valentine de Cowboy Bebop, Musashi (Jessie) de Pokémon e Haibara Ai de Detetive Conan. Ela também tem um programa de rádio, além de ser cantora e letrista.

 

shouwa genroku rakugo shinjuu review comentários análise

 

¹ – “Kajika-zawa” é a história recitada por Kikuhiko/Yakumo no episódio 1, quando Yotarō pega no sono e ronca durante a performance. Enquanto “Shinigami” será contada e recontada em vários pontos-chave ao longo do anime, como na apresentação de Kikuhiko/Yakumo na prisão onde estava Yotarō e também na noite em que o teatro é destruído por um incêndio.

² – Por falta de expressão melhor. A tradução para inglês utilizou “rakugo storyteller”, algo como “narrador/contador de histórias de rakugo”; contudo, pela natureza performática do rakugo, me senti mais seguro em utilizar “ator”.

³ – Por toda a empolgação de Ishida com a primeira temporada de Rakugo, bem sabemos que o anime recebeu uma segunda temporada recentemente.

Anúncios

Um comentário sobre “Shōwa Genroku Rakugo Shinjū: uma entrevista com Akira Ishida (Kikuhiko) e Megumi Hayashibara (Miyokichi), parte 2 de 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.