Versão Brasileira: Vagabond 15 – Panini

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Bora aqui rapidinho comentar sobre o volume do mês de Vagabond?

vagabond volume 15 miyamoto musashi sasaki kojiro manga panini takehiko inoue review comentarios analise


Vagabond: Volume 15

Continuando na história de origem do Kojiro, temos a preparação para o confronto com Fudou, aquele que vai ser o divisor de águas nas suas vidas. Mas a história aqui não vai de cara até esse momento, ela vai lentamente fazendo uma preparação, mostrando como pai e filho estão vivendo nesse momento, para que o leitor sinta que existe um risco com isso, e ao mesmo tempo, dando motivação para que os dois façam essa luta.

A luta foi boa, ela foi curta, mas trouxe momentos bem interessantes, e foi mesmo o divisor de águas para ambos. Porque ao mesmo tempo que melhorou a vida dos dois, ela piorou uma parte da relação de pai e filho, a parte de mestre e aprendiz. Porque embora Kojiro seja uma pessoa bondosa até aqui, existe uma selvageria de fazer o Musashi parecer um gentleman. Mas acredito que ele não seja o grande culpado até aqui, foi uma mistura de sentimentos, a tensão da luta, a possibilidade das poucas pessoas com quem ele tem uma ligação morrerem, dele morrer também, a própria inexperiência dele numa luta, isso tudo junto, gera problema. Jisai se destacou também aqui, acompanhamos de novo um pai capaz de fazer de tudo por seu filho, um humano que não quer ver crianças sofrendo, por ter o sentimento paterno, e alguém que viu o que há de pior nas pessoas da vila, inclusive no seu filho. E o Fudou se mostrou um adversário absurdo, gostei muito dele lutando.

 

vagabond volume 15 manga panini capitulo 142 sasaki kojiro kanemaki jisai takehiko inoue

Um momento bonito de pai e filho

 

Para finalizarmos, de novo temos um volume muito bom, com a arte sensacional, tanto na beleza, nos detalhes quanto na capacidade de contar a história só com ela, leitura bem rápida e um arco que tem alta violência e ao mesmo tempo momentos bonitos, como os gestos de humanidade dos personagens, que é bem característico do mangá. E ia me esquecendo de comentar, o trabalho da Panini continua bom como de costume, aqui se manteve na regularidade do que vem apresentando com Vagabond, o que é ótimo, ainda mais que é um título bem caro e que já teve 2 cancelamentos no Brasil. Fiquei muito satisfeito com esse volume.

Comentários Finais:

– Amanhã devemos ter Magi.

– Se tudo der certo, Lobo Solitário na quinta e Terra Formars no sábado.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.