Um guia-de-bolso da indústria!

Ou um pequeno glossário de termos relacionados à produção de animes.

industria angel beats anime guia

 

O texto de hoje, penso eu, possui duas funções principais: a primeira seria a utilidade pública, de incutir vocabulário no debate animístico sobre os bastidores da indústria. Em segundo lugar, e é aqui onde quero chegar, este post serve de alicerce para a nova coluna do blog, a de “Estudos sobre a Indústria”, onde oferecemos um olhar mais aprofundado sobre a produção de animes.

Assim, penso que este glossário funcione como uma publicação adjacente à de ontem – Como nasceu o melhor episódio de Shigatsu wa Kimi no Uso –, por explicar os vários termos técnicos, principalmente as profissões, que citei ali. E é claro: o mesmo valerá para todos os posts futuros da coluna. Por isso a expressão “guia-de-bolso”, pois qual a melhor maneira de dominar o básico de um assunto senão consultando uma lista de terminologia? Sim, leitor, este guia aqui ajudará você e ajudará a mim, enquanto embarcamos juntos nos estudos sobre a indústria! E o editarei constantemente, conforme cito novos termos e a coluna se expande.

 

shirobako industria guia animacao anime bastidores

 

Por fim, quero apenas acrescentar que a lista constitui-se largamente de uma tradução livre e direta da seção glossary” do Sakuga Blog, com algumas edições e adições minhas. Os termos estão organizados em ordem alfabética. Vamos lá?

 

  • Animador-chave (Key Animation / 原画, Genga): estes artistas desenham os momentos pivotais de uma cena de animação (por exemplo, no quadro 1 o personagem pega impulso, no quadro 2 ele pula, no quadro 3 ele começa a cair, e no quadro 4 ele aterrissa), basicamente definindo o movimento da sequência sem de fato completar o corte. A indústria dos animes é conhecida por permitir a esses profissionais uma grande liberdade na expressão de seus estilos próprios.

 

  • Animador-chave Secundário (2nd Key Animation / 第二原画, Daini Genga): pessoas nesta função fazem uma espécie de “limpeza” nos quadros do animador-chave principal, caso estes quadros estejam grosseiros, pouco polidos, ou inacabados mesmo. A função pode abranger desde “limpeza” dos desenhos até adição de elementos secundários que o animador-chave não pôde concluir.

 

  • Assistente de Produção (Production Assistant / 制作進行, Seisaku Shinkou): é efetivamente a posição mais baixa dentre os produtores, mas ainda é uma engrenagem essencial ao sistema. Esse profissional confere e carrega materiais, e se mantém em contato com os inúmeros artistas necessários para que um episódio seja finalizado – geralmente lidando com múltiplos episódios dos vários animes com os quais está envolvido ao mesmo tempo.

 

  • Character Designer (Designer de Personagem / キャラクターデザイナー): uma das funções mais importantes no início do projeto. Esse profissional deve não somente estabelecer a identidade visual dos personagens, como também municiar todas as etapas da produção com model sheets, que incluam as inúmeras expressões faciais e corporais desses personagens, bem como sua escala básica de cores. O destaque no trabalho do character designer varia segundo a liberdade criativa que ele recebe: seja uma obra original ou uma adaptação, personagens podem trazer um aspecto mais inovador ou mais tradicional, mais extravagante ou mais clean, e assim por diante.

 

  • Compositor de Série (Series Composition / シリーズ構成, Series Kousei): um papel central, dado ao roteirista principal do anime. Ele deve se reunir com o diretor (seu superior imediato), e por vezes com produtores, durante a fase de pré-produção, para esboçar o conceito da série, definir os eventos principais do enredo e decidir qual o ritmo (pacing) da obra. Esse profissional não deve ser confundido com os roteiristas individuais (脚本, Kyakuhon), que geralmente possuem pouco espaço para se expressar e apenas desenvolvem planos já existentes – embora compositores de série também escrevam scripts de episódios.

 

  • Designer de Cores (Color Designer / 色彩設定/色彩設計, Shikisai Settei/Shikisai Sekkei): a pessoa que estabelecerá a paleta de cores geral do anime. Episódios possuem seu próprio coordenador de cores (色指定, Iroshitei), responsável por supervisionar e abastecer os coloristas com os model sheets que cada entrada requer. Há vezes em que coordenadores de cores criam, eles mesmos, modelos de cores para o episódio em que estão trabalhando, caso o designer de cores não tenha estabelecido algum tom em específico.

 

  • Diretor-chefe de Animação (Chief Animation Director / 総作画監督, Sou Sakuga Kantoku): comumente, um crédito genérico que tenda a estar nas mãos do designer de personagem (character designer), embora ultimamente esteja crescendo o número de projetos pouco organizados que contam com múltiplos diretores-chefes de animação; mais do que os diretores comuns de animação, seu trabalho é garantir que personagens se pareçam como devem. Consistência é o objetivo desse profissional, algo que irão exigir tanto quanto quiserem (e puderem).

 

  • Diretor de Animação (Animation Director / 作画監督, Sakuga Kantoku): são os artistas supervisionando a qualidade e consistência da animação em si. Eles podem corrigir cortes que se desviam demais dos designs originais caso queiram, mas seu trabalho é principalmente o de assegurar que o movimento da animação esteja equilibrado, que não pareça duro, áspero. Existem muitas funções especializadas para diretores de animação – mecha, efeitos, criaturas, todos focados em um elemento recorrente em particular.

 

  • Diretor de Arte (Art Director / 美術監督, Bijutsu Kantoku): a pessoa neste cargo se encarrega da arte de fundo, ou background, de um anime. Ela desenha inúmeros cenários que, se aprovados pelo diretor da série, servirão de referência para os backgrounds ao longo do anime. Coordenação dentro do departamento de arte é fundamental – os designers de cenário e de cores devem trabalhar juntos para construir um mundo coerente.

 

  • Diretor de Episódio (Episode Director / 演出, Enshutsu): uma tarefa criativa mas também coordenativa, visto que implica supervisionar os vários departamentos e artistas envolvidos na produção de uma episódio – aprovando layouts de animação juntamento com o diretor de animação, inspecionando o trabalho da equipe de fotografia, do departamento de arte, da staff responsável pelo CG, etc. Essa profissão também existe no cinema, e envolve um trabalho semelhante, só que aplicado aos vários segmentos de um filme.

 

  • Diretor de Série (Series Director / 監督, Kantoku): é a pessoa encarregada de toda a produção, sendo um tomador de decisões do ponto de vista criativo e um supervisor final. É o superior hierárquico da staff e dono da última palavra no projeto. Existem, contudo, animes com diferentes níveis de diretores – diretor chefe, diretor assistente, e todo tipo de cargo não convencional. A hierarquia, nesses casos, varia de produção para produção.

 

  • Diretor de Som (Sound Director / 音響監督, Onkyou Kantoku): responsável pelo design de som no geral, bem como cada um de seus elementos (efeitos sonoros, trilha sonora e músicas de abertura e encerramento, e dublagem). A presença dessa pessoa se dá na pré-produção, visto que a parte musical é composta e “encomendada” antes da animação em si, e também na pós-produção, coordenando a gravação dos efeitos sonoros de cada cena e as performances vocais dos personagens. Trabalha em constante contato com o diretor da série e os dubladores.

 

  • Fotografia (Photography / 撮影, Satsuei): é a junção de elementos produzidos por diferentes departamentos, culminando num “quadro final” – ou uma imagem composta, com os personagens em primeiro plano e o background em segundo plano, buscando a melhor harmonia possível. O termo “fotografia” é uma herança do passado, quando câmeras de fato eram utilizadas durante o processo.

 

  • FX: abreviação de “effects“, ou os efeitos na animação – água, fogo, raios/poderes, etc. É um pilar da animação japonesa em 2D.

 

  • Impact Frames (Quadros de Impacto / インパクトフレーム): quadros normalmente monocromáticos, ou então cromaticamente estilizados, ocultos em algumas sequências para dar à elas um “boom” extra. Apesar de, na maioria dos casos, os quadros de impacto tenderem a cintilar apenas por uma fração de segundo, há animadores que preferem exagerá-los (como neste corte de Yoshimichi Kameda em One-Punch Man).

 

  • Inbetweens/In-betweens (動画, Douga): se refere essencialmente a preencher as lacunas entre cada quadro principal desenhado pelos animadores-chave, completando a animação. Assim que é feita, a animação-chave é delineada e inteiramente limpa, e então os quadros faltantes são desenhados pelos inbetweeners seguindo as anotações de tempo e espaçamento, deixadas para referência. Vale acrescentar que bons inbetweeners são capazes de aprimorar quadros-chave medianos, assim como inbetweeners despreparados podem arruinar o trabalho de um bom animador-chave.

 

  • Layouts (レイアウト): são os desenhos de onde a animação de fato nasce; eles expandem as geralmente simples ideias visuais do storyboard em um esqueleto prático de como será a animação, detalhando ambos os trabalhos do animador-chave e dos artistas de background.

 

  • Outsourcing (Terceirização / アウトソーシング): é o processo de subcontratar outros estúdios para parte do trabalho. Terceirização parcial é bastante comum para tarefas como animação-chave, coloração, backgrounds e outras funções, porém a maioria dos animes para TV também realizam full outsourcing (グロス), quando um episódio é inteiramente manufaturado por outro estúdio.

 

  • Produtor Executivo (Executive Producer / 制作責任者, Seisaku Sekininsha): geralmente supervisiona o conteúdo criativo e, principalmente, os aspectos financeiros da produção de um anime. Pode ainda se envolver com a contabilidade e as questões legais. Esse profissional se assemelha um pouco ao showrunner das séries americanas.

 

  • Sakuga (作画): tecnicamente, significa apenas “animação”; porém, os fãs ocidentais vêm se apropriando do termo há tempos, e o utilizam especificamente para se referir a cenas particularmente bem animadas. A expressão não tem tanta força no Brasil, mas em outros países do Ocidente assume-se a existência de uma verdadeira “comunidade Sakuga” (Sakuga community), surgida do apreço por cenas plasticamente belas e pela celebração a animadores notáveis dentro da indústria. Seria um nicho dentro do nicho otaku como um todo. Uma parcela dos fãs japoneses também têm adotado a definição.

 

  • Storyboard (絵コンテEkonte): seriam os planos-base, os blueprints da animação. Uma série de desenhos bastante simplificados, que servem como um roteiro visual do anime; feitos em folhas especiais, com campos a serem preenchidos com o número de corte da animação, anotações para a staff  e as linhas de diálogo correspondentes. Normalmente, o próprio diretor de série é quem irá criar os storyboards.

 

 


 

 

E você? O que acha de artigos sobre bastidores? Gosta de discutir a indústria tanto quanto eu? Que outras profissões e termos gerais posso acrescentar aqui no glossário? Deixe seu comentário abaixo, pra nossa conversa sobre animação continuar! E certifique-se de voltar ao Otaku Pós-Moderno e à nova coluna de Estudos sobre a Indústria. Ittekimasu!

Anúncios

9 comentários sobre “Um guia-de-bolso da indústria!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s