BEDA #29 – Animes, Mangás e Hollywood

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Bora conversar sobre algo que deixa muitos otakus irritados, e convenhamos que com razão na maioria das vezes, que são os filmes de Hollywood baseados em animes e mangás, vamos nessa então?

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action


BEDA #29

Antes de mais nada, eu vou comentar dos filmes que assisti, não vou falar de casos de filme que eu nunca vi e enganar vocês falando o óbvio de algo que não vi, que muita gente falou só pra parecer o bonzão. Vou comentar sobre o que eu vi, que tem filmes pavorosos, alguns por incrível que pareça são bons, então bora “falar” deles.

Dragon Ball Evolution

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

 

AH, TINHA QUE COMEÇAR DELE. Sim, eu me torturei, eu vi esse filme, e o pior de tudo, no início fui trouxa de acreditar que poderia sair algo legal. Calma, digo no início, assim que saiu o anúncio oficial do filme e o Justin Chatwin como Goku, que eu não achei uma escalação ruim e nem whitewashing, que eu sei que é uma merda, que é muito raríssimo ter asiáticos em papéis principais em Hollywood, mas se trata de um alienígena e não de um asiático. O visual dele como Goku é aceitável, o efeito do Kamehameha também, mas eles erraram no principal, A HISTÓRIA. Não adianta fazer um Goku com um visual 100% fiel (que não foi o caso dele) se você descaracteriza o personagem. Goku vítima de bullying na escola, é sério isso? Mestre Kame, Bulma, Yamcha, Piccolo, todos com visuais pavorosos. Chi Chi a menina dos sonhos da escola? O que é isso? Cadê o Kuririn? Oolong, Pual, Ten Shin Han, cadê? Mesmo com elenco bom, conseguiram fazer a adaptação mais pavorosa que existe. Não vou dizer para vocês não verem, até recomendo, para entenderem o porquê e entenderem a minha reclamação.

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

Olha que coisa pavorosa

 

Street Fighter – A Batalha Final

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

 

Dei uma de advogado do Fluminense e vou incluir uma adaptação que não é bem de um anime ou mangá, porque esse é o primeiro filme que eu odiei na minha vida.
O filme já começa errado colocando o Guile como personagem principal. Isso já é motivo suficiente pra esse filme não merecer respeito. Se quer colocar um americano como protagonista só pra vender pro povo de lá, QUE É UM PENSAMENTO QUE EU ACHO BABACA PRA CARALHO, colocasse o Ken como protagonista, cacete.
Ele é brega, os atores não combinam com os personagens em sua maioria, as lutas são ruins, não têm os golpes especiais e o que é aquela pose final? JESUS.
Odeio tudo nesse filme, inclusive odeio Jean-Claude Van Damme por conta desse filme.
E o que é aquela pose no final?

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

QUE CARALHO DE POSE É ESSA? É A PIOR POSE DE FINAL DE FILME DE TODOS OS TEMPOS!

 

Oldboy

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

 

Esse é complicado, porque Hollywood achou que ia ser fácil e se deu mal, e olha que tinha gente gabaritada pra isso. O filme coreano de 2003 é muito bom, é sensacional, esse entra no seleto grupo de filmes baseados em mangá e anime que são bons de verdade. Só que o caso do filme americano não é assim. O filme americano é um dos mais ignorados e mal avaliados pela crítica, e nem com bom elenco e diretor se salvou. O diretor desse filme é o Spike Lee, e o protagonista é o Josh Brolin, mas mesmo assim deu errado. Por isso muito cuidado, quando forem assistir Oldboy, vejam o filme COREANO e não o americano.

Mas todo filme baseado em anime e mangá é ruim? Não, tem 2 filmes americanos legais.

No Limite do Amanhã

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

 

Sim, o filme do Tom Cruise, que é baseado na história japonesa All You Need is Kill, que é originalmente uma série de novels e teve o mangá de 2 volumes com o traço do Takeshi Obata. Eu disse que no caso de Dragon Ball, o visual não é o mais importante, aqui é um exemplo disso. Os personagens não são os mesmos, a história tem muitas diferenças, mas existe o mais importante, a essência. Esse filme tem o mesmo espírito da história original, os personagens são diferentes, até os rumos mudam, mas o núcleo da história é o mesmo. Um cara que sempre que morre volta ao dia anterior, o exército, os monstros, têm nas 2 obras a mesma pegada. Então nesse caso você assiste a um filme diferente, mas ao mesmo tempo fiel. E o resultado é de um filme muito bom. Vale a pena assistir.

Speed Racer

 

beda 29 blog everyday april abril 2017 opm comentarios analise review anime hollywood filme live action

 

Esse é polêmico, eu sei. A crítica detestou, ninguém foi assistir a esse filme (ainda mais que saiu na mesma época do Homem de Ferro), mas tem gente que acha esse filme mal compreendido, e eu sou um desses. O filme é visualmente bonito, ele pega o estilo do anime de 1967, ele é divertido, é ousado, e a história segue direitinho, e não se leva muito a sério. É daqueles filmes que estão virando cult e daqui há 20 anos, seus filhos hipsters do futuro (o que caralhos virão a ser) vão cultuar esse filme. E de fato se trata de um filme injustiçado. Não é um filme maravilhoso, mas ruim não chega a ser.

Sobre outros filmes, como Ghost in The Shell, por exemplo, eu prefiro não comentar, pois não assisti, e sequer li o mangá ou vi o filme de 95. O Fábio Sakuda do XIL falou melhor do que eu sobre o elenco. Como se trata de Hollywood, é óbvio que eu não mencionei Samurai X, embora só vi o 1º e é bom, mas fiquei com a pulga atrás da orelha de como adaptaram Sanosuke e Yahiko.

E para finalizar, eu não acho que seja impossível fazer filmes baseados em mangás e animes. Primeiro é preciso escolher com calma qual história adaptar, escolher bons diretores que são os caras dos filmes, bons roteiristas para adaptar bem, e o principal é não ignorarem as essências das histórias, que é o motivo que pode ter feito (pelo que eu vi das críticas) filmes como Ghost in The Shell fracassar e pode ter feito com que o filme de Death Note da Netflix venha a ser um filme ruim. É sério, minha opinião é a mesma do Thunderbout da LBTV, o que vemos ali é um filme de ação genérico e vou deixar aqui em baixo a opinião dele sobre isso.

 

 

Comentários Finais:

– Amanhã tem One-Punch Man, fiquem ligados.

– Amanhã é o último dia do BEDA, então vou fazer um balanço final dele para terminar.

– Mas se serve de consolo, os independentes Dragon Ball Z: Hope of Light e Street Fighter Assassin’s  Fist são ótimos. Produções pequenas, porém ótimas justamente por manterem a essência das obras originais. E acertaram também na parte visual e escolha de elenco, assim como boas cenas de luta.

Então é isso. Comentem o que acharam dessa postagem, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões de tema, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s