Versão Brasileira: Berserk 16 – Panini

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Agora deixando, pelo menos por enquanto, Berserk em dia no blog, então bora comentar desse volume que saiu faz pouco tempo?


Berserk: Volume 16

Agora completando o Capítulo das Crianças Perdidas, a conclusão dessa história que não foi adaptada para o anime aparentemente não move muito a história, mas sim a subtrama dos Cavaleiros das Correntes Sagradas que estava acontecendo que faz isso.
Mas de qualquer modo, não achei ruim não, foi bem divertido, a luta foi tudo aquilo que esperávamos, muito violento, não falta adjetivos para definir Guts aqui. Raçudo, sofredor, frenético, brutal e embora não pareça para os outros personagens, humano.

Essa luta foi a que mais ocupou espaços no volume, mas não sei se no futuro ela pode ter alguma ligação importante com essa parte, mas ficam algumas perguntas, como por exemplo porque o Cavaleiro da Caveira comeu o Behelit que Rosine usou para se transformar em um apóstolo. Também entendemos de vez que com o Behelit não se transforma só em God Hand, mas pode também virar um apóstolo. Gostei também do final da Jill, que apesar de viver em um mundo horroroso, em um momento raro do mangá, temos uma perspectiva de esperança. Achei bem interessante isso, porque não havíamos visto isso na história, sempre terminou os arcos da maneira mais desgraçada possível. E mais uma vez, de novo vemos que se não fosse pelo Puck, o Guts já estaria morto há muito tempo.

 

O caminho mais longo aqui é superar os hiatos do Miura

 

Depois disso temos o início do Capítulo dos Acorrentados. É o encontro do nosso protagonista com os Cavaleiros das Correntes Sagradas, como disseram, cavaleiros do Vaticano. A maioria é um bando de filhinhos de papai que foram pra lá pra ter vida mansa e status de guerreiro, mas têm duas exceções. O valente e honrado Azan, que também é protagonista de um dos contos mais burros da história, Serpico, um rapaz bem esperto e com uma percepção afiada, e Farnese, a líder do grupo, que mais pra frente comentaremos sobre ela. Mas de qualquer forma, temos uma senhora adversidade para o Espadachim Negro nesse momento, pois ele foi pego por cavaleiros do Vaticano e o mais irônico de tudo é por ter matado demônios. O mangá continua bem interessante, quem viu o anime do ano passado, aquele anime decepcionante, sabe que não é pra ignorar essa parte da história, ainda mais que muitos personagens importantes aparecem.

Para finalizarmos, mais uma vez temos um volume muito bom do mangá, a ação de novo correspondendo expectativas, com a violência que queremos e é uma das assinaturas da série. De novo uma leitura que flui muito bem, e a arte do Kentaro Miura dando show. A Panini como sempre fazendo um ótimo trabalho. O mangá vale o preço que tá na capa.

 

Um encontro importante

 

Comentários Finais:

– Amanhã teremos Boku no Hero Academia.

– Terça-feira voltarei a repor títulos atrasados, e os próximos serão os volumes de Akame ga Kill!.

– Tenho aqui ainda Tokyo Ghoul, Ore Monogatari!! E Vagabond para ler e postar para vocês.

– E se preparem que estou estudando fazer uma surpresa bem legal no mês que vem. E faltam só 6 dias para isso.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s