Versão Brasileira: Berserk 15 – Panini

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Bora aqui comentar sobre mais um volume de Berserk?


Berserk: Volume 15

Dando continuidade ao Capítulo das Crianças Perdidas, a história anda muito bem. Muita coisa acontece em um só volume. Descobrimos quem são os tais elfos do Vale da Neblina, vemos mais dos personagens e a trama encaminhando para que caminhos se cruzem. Primeiro temos a tal elfa que descobrimos na verdade se chamar Rosine, e é amiga da Jill, a moça que o Guts resgatou no volume anterior. Temos nesse meio uma fábula sobre um menino/elfo que remete tanto a elas quanto ao Puck, o ser que não pertence a lugar nenhum, é rejeitado por todos os lados e sofre por isso.

Quanto aos personagens, vemos mais sobre dois personagens principais que estão nessa história, Guts e Puck. O primeiro apesar de fazer várias babaquices, ainda mantém a sanidade, por falta de palavra melhor. O que ele faz na verdade é vestir a armadura do berserker, sendo mais poético, e dando uma de cachorro louco para não enlouquecer de verdade. Ele carrega esse peso nas costas porque ele tem que fazer isso para proteger as pessoas e não morrer, pelo menos antes de acabar com Griffith, que agora é Femt. Ele sabe que entrou em um mundo cruel e desumano, mas ele precisa seguir em frente e usar suas armas (que agora são várias) para impedir que ele e todo mundo seja consumido por esses demônios. Algumas pessoas já não tinham mais salvação, é matar ou morrer, e nesse caso o morrer não se resume só a ele.

 

Olha quem tá aí aprontando

 

Puck é outro personagem que eu tô gostando cada vez mais. Ele não é só um alívio cômico ou uma orelha pra encher os nossos sacos com diálogos expositivos. Ele é um personagem útil, porque sem ele, o Guts já teria morrido. E embora seja um elfo, ele acaba sendo agora em diante, a parte “humana” da história. O comportamento dele é da pessoa normal, aquele que acha um absurdo a matança, que o Guts tá fazendo besteira, procurar uma solução diferente, ele demonstra abertamente sofrimento com as desgraças que vê. Quanto ao humor, podem ver que não é só um alívio cômico que para a história só pra ter o humor, não, as cenas cômicas dele são ligadas com a história e elas acabam fazendo o personagem se mover, o que é sensacional.

Tiveram mais duas coisas que me chamaram a atenção. A primeira é a subtrama dos Cavaleiros das Correntes Sagradas, somos apresentados oficialmente a personagens como Farnese, Serpico e Azan, personagens que quem viu o anime, sabe muito bem que é pra ficar de olho neles. Outra é a história envolvendo Jill e Rosine, ela aborda a situação de crianças que se veem em péssimos lares, vizinhança que não liga para elas e uma delas pensa em viver como quer, já a outra reflete sobre isso. Claro que não justifica, afinal, o próprio Guts comeu o pão que o diabo amassou e tá aí, não cedendo aos demônios.

Claro que não poderia faltar lutas sangrentas nesse volume, elas foram ótimas, a violência levada à risca, Guts matando e apanhando, bom lembrar que ele apanha muito, como é raçudo, que é uma das coisas que dá graça à história. Ele sofre, apanha feio, fica pra morrer, mas mesmo assim reage e mata seus adversários como um cachorro louco.
De novo temos um mangá que a arte está sensacional, leitura flui muito bem, o humor está lá na hora certa e é bom, e ele te faz pensar sobre os personagens sem ser vazio ou pretencioso. Mais um ótimo volume e que só deixa o leitor animado e ansioso para ler mais.

 

O mestre dos disfarces

 

Comentários Finais:

– Sim, apesar dos pesares, eu vou acompanhar a próxima temporada do anime. Eu sou fã e quero saber o mais cedo possível o que acontece na história. Eu sou o tipo de fã que comete o erro de pegar spoiler nas wikis por conta da impaciência, é um hábito que eu tenho que parar.

– Amanhã, se tudo der certo, teremos a review do volume 16. E vou tentar fazer de tudo para comprar os volumes o mais cedo possível nas bancas.

– Outros títulos serão atualizados no blog.

– Tenho um plano para abril no blog, mas vai exigir fôlego.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s