OPM Opina #8.1: Pokémon XY, a melhor série da franquia

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Eu tava pra falar desse assunto há muito tempo, mas me deu preguiça, falta de tempo e também era melhor ter esperado a série terminar, né? Vamos falar do anime de Pokémon. Vou explicar o meu ponto de vista e também dar umas cutucadas em algumas feridas dos fãs da franquia.


Sim, eu gosto do anime de Pokémon. Vejo desde 1999 quando passava na Eliana e nunca mais abandonei. Por alguns motivos. Primeiro, não gosto de abandonar o que acompanho, vou até o fim, a menos que seja algo que eu não tenha mais saco, o que não é o caso de Pokémon. Eu jamais deixei de gostar da franquia, tanto os jogos quanto anime e mangá. Esse é o segundo motivo pelo qual eu continuo assistindo: sou tão fã quanto na época que tinha 12 anos e o meu irmão ainda assistia comigo.

Sim, vi muitos amigos abandonando o anime enquanto só eu continuava a ver. Pra ser sincero, só lembro de um amigo que até hoje assiste o anime, mas assistir de acompanhar, não só pegar pra ver quando tá na liga e falar que o Ash perdeu tudo e é um fracassado, sem saber o que diabos os roteiristas fizeram. Roteiristas esses que estão entre os seres mais odiados pelos fãs do anime, quem acompanha sabe disso.

Sei que já estou enrolando, mas vou dar uma pincelada rápida em cada temporada antes para poder comentar sobre XY. Senta que lá vem textão.

————————

A primeira, em Kanto, que abrange as Ilhas Laranja e dá pra incluir Johto também, é a temporada clássica. Alguns inclusive não chegaram nas Ilhas Laranja, o que eu já considero um erro, mesmo para os genwunners. É a geração mais lembrada por todos, apresentou a franquia, tem personagens icônicos e os Pokémon (o nome é uma abreviatura, então o plural permanece o mesmo) mais conhecidos e populares da história. Nela, conhecemos Ash, Misty, Brock, a Equipe Rocket, Pikachu, Bulbasaur, Charmander, Squirtle e outros não tão importantes assim.

Apesar da nostalgia, a primeira geração tinha elementos que me irritavam muito. Pra começar: das personagens femininas principais, só não considero a Misty pior que a Iris (vou explicar mais tarde). Um motivo pra não gostar da Misty: seus Pokémon. O mais legal, que foi o Starmie, quase não foi usado e de cara foi deixado no ginásio para que ela usasse só o Staryu. Pelo amor de Deus. Horsea era outro Pokémon legal que foi junto, o que também foi um erro do anime, ao colocar um Pokémon que só pode ficar na água para viajar junto com os protagonistas. Eu não sei como o Goldeen não foi deixado junto com o Horsea (outro erro bizarro do anime), além de quase não aparecer na série. Psyduck era irritante, Togepi oscilava entre o fofinho e o chato. Politoed e Corsola apareceram mais tarde.

Irritava até sua dona

Irritava até sua dona

Convenhamos que os objetivos de Misty e Brock (que é um personagem que eu adoro) no anime eram desculpas esfarrapadas que não dão pra digerir até hoje. O que eles realmente faziam pra isso? Praticamente nada.

As batalhas na série clássica, principalmente na primeira temporada (em Johto não foi tão assim), ainda mais pra quem conhece os jogos, são um festival de asspulls, coisas que não tinham nada a ver com o jogo, algumas explicações erradas que iam desde as vantagens e desvantagens de certos tipos, até movimentos e evoluções. Isso gerou as piores conclusões de batalhas de todo o anime, principalmente em ginásios e algumas da Liga Indigo. Era o que mais me irritava.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Os Pokémon como personagens, na primeira temporada, tirando o Pikachu, eram só alívio cômico (NÉ, PSYDUCK?) ou bonecos de batalha, isso quando apareciam. Alguém se lembra de batalhas importantes de Squirtle e Pidgeotto? Provavelmente não, porque não existiram. Nas batalhas importantes, era Pikachu, Bulbasaur e Charizard.

A Liga Laranja foi legal. Foi a jornada mais diferente, deu mais espaço pra alguns Pokémon, Ash capturando Snorlax (tenho que colocar como ponto positivo, um dos meus Pokémon favorito, pô) e a batalha contra o Drake foi épica. Uma das raras vezes que vemos Ash saindo campeão não é algo a ser ignorado. Por outro lado, houve o erro de tirar o Brock (cagada que foi corrigida, graças a Deus).

ligalaranja

Uma vitória teve, e foi uma das mais memoráveis batalhas dele

Em Johto, não melhorou tanto no aspecto dos Pokémon como personagem, mas era um time tão sem-graça… o melhor Pokémon do Ash, Heracross, foi mandado pro laboratório do Prof. Carvalho rapidamente; Cyndaquil foi OK, Bayleef e Noctowl, Jesus Cristo; Totodile teve menos destaque que o Squirtle na primeira temporada. Sério, alguém se lembra de algo do Totodile que não seja sua dancinha? Só houve UM episódio em que ele foi trabalhado como personagem, e mesmo assim era um episódio filler (mais abaixo comento sobre fillers). Phanpy só apareceu na reta final, mas pelo menos teve sua importância depois.

A rivalidade com o Gary foi muito pouco trabalhada. O Gary era um personagem chatinho, convenhamos. E descobrir só depois de 5 anos qual era o inicial dele, tá de sacanagem… tanto mistério pra um Blastoise? Ao menos, a luta entre Ash e Gary na Liga Johto foi boa.

Embora teve batalhas melhores, foi épico

Embora teve batalhas melhores, foi épico

A geração Advanced é onde temos algumas mudanças bem drásticas. Misty fora (ALELUIA), Pokémon do Ash deixados no laboratório (o que viria a se tornar rotina a cada início de nova geração) e novos companheiros de jornada. Até XY, eu achava Advanced Generations a melhor temporada de Pokémon. Foi uma boa temporada. A partir dela, o anime começou a se assemelhar cada vez mais ao jogo, tanto nas batalhas, quanto nas evoluções, movimentos e até mesmo localização de alguns Pokémon, dentre outras coisas. Mas a parte das batalhas foi a mais visível delas.
Houve também uma melhora visual: gosto muito das cores utilizadas no anime. As roupas ficaram entre as melhores também.

May é a nova personagem feminina principal, e ao contrário de Misty, ela tem um objetivo real. Ok, demorou um pouco pra engrenar nisso, mas pelo menos tivemos uma jornada real de uma personagem ao lado do Ash. Max era o irmão pentelho que só servia de orelha, e também alívio cômico, substituindo a Misty pra puxar a orelha do Brock quando ele dava em cima de alguma garota. Max eu conseguia aceitar, até.
Brock foi outro que continuou, se manteve o mesmo personagem em sua essência, mas foi a temporada em que ele apareceu melhor. Um ponto positivo dessa temporada é o Ash: dessa vez vemos ele treinando mais, quase que direto, sendo mais objetivo, até mais agressivo (em alguns momentos, até demais). Estava bem melhor que na primeira temporada.

Outro grande acerto dessa geração foram os Pokémon. Os três tiveram bons times (embora o Brock só tenha pegado 3), mas eram em sua maioria Pokémon interessantes e que agiam mais como personagens. Treecko foi de longe o melhor deles. Um dos melhores Pokémon do Ash até hoje. Pela primeira vez ele teve um pássaro de início de jogo legal, que ia bem nas lutas. Corphish só teve o defeito de não ter evoluído, como personagem era um dos melhores e mais divertidos. Tá, teve o Torkoal, mas ainda era melhor ele como o tipo fogo da região do que… Numel. Snorunt só apareceu no final, e bem para tão pouco tempo.

May também teve um time muito legal, que combinou com a classe de coordenadora.
Brock infelizmente capturou poucos, mas dois foram legais. Interessante tê-lo visto com um inicial pela primeira vez. Gostei de ter visto, em rara oportunidade, cada protagonista com apenas um inicial. Inclusive, foi uma das temporadas onde os Pokémon mais cresceram com seus treinadores.

Mudou muita coisa em relação à série original, e foi ótimo

Mudou muita coisa em relação à série original, e foi ótimo

Batalha da Fronteira (ou Battle Frontier) foi outro ponto positivo dessa geração. Ash de novo em Kanto com um objetivo diferente, May participando de mais concursos, batalhas mais intensas e um esquema de às vezes colocar um sexto Pokémon que não aparecia há tempos, graças ao Torkoal e Glalie terem ficado no laboratório e Phanpy ter retornado.

E essa foi uma temporada que o Ash terminou vencedor, assim como na Liga Laranja. Quase todos os Pokémon dos protagonistas evoluíram (do Ash, só o Corphish não evoluiu). Não tem como não ficar feliz com Bulbasaur, Charizard e Squirtle juntos para a batalha final: foi um dos melhores momentos de todo o anime.

Acredito que a falta de um rival do Ash foi um problema dessa temporada, mas não era algo desesperador. Afinal, nos jogos dessa geração, o rival não tinha tanta importância assim, já que Wally era um pentelho que apareceu pouco. May foi bem servida nesse quesito. Seus rivais foram os melhores.

frontier_ash_lineup_3

E sempre tinha espaço pra um sexto que tava no laboratório

Em Diamond & Pearl, temos um visual semelhante à temporada anterior, só que atualizado. Há também uma grande personagem feminina, com um Pokémon que, além de ter sido o segundo mascote da temporada, foi o maior destaque como principal de uma personagem feminina até hoje.  Ainda tivemos o melhor rival do Ash que já existiu. Quanto ao time do Ash, foi ainda melhor, assim como bem trabalhado. Foi também uma temporada com boas batalhas contra os vilões da região, além dos lendários apareceram mais.

O time do Ash como um todo funcionou. Torterra foi o grande problema, já que quando era um Turtwig, era um personagem muito promissor: era o Bulbasaur que tinha tudo pra ser o protagonista, mas depois que evoluiu, teve um conflito interessante, porque ele era rápido (coisas do anime, apenas aceitem) acabou se tornando lento. Só que quando evoluiu pra Torterra, não vimos a resistência e força que ele deveria ter. Virou saco de pancada. É sério, ele não ganhou uma batalha sequer como Torterra.  Até o conjunto de movimentos dele era bem fraquinho e não combinava muito. Essa foi a grande decepção do time do Ash em Sinnoh.

Infernape foi um astro e hoje é o meu inicial de fogo favorito. Foi o contrário do Torterra, começando como Pokémon do Paul (achávamos até que era seu inicial, mas não foi assim) e depois que evoluiu pra Infernape, ele virou um perfeito Ás, ganhou quase todas as batalhas e fez algumas das mais emocionantes e mais empolgantes. Só poderiam ter Close Combat no lugar de Mach Punch, né?

Buizel não evoluiu, mas foi uma boa arrumada dos roteiristas, porque com Aipom não ia dar. Acertaram e erraram no conjunto de movimentos dele. Sonicboom e Water Gun ficarem pra Water Pulse sair é vacilo. Não precisava mais spammear Water Gun no anime. Ice Punch foi perfeito. Staraptor foi um pássaro de início de jogo de respeito. Usando Close Combat então, cacetada.

Gliscor foi outro Pokémon adorável, carismático, versátil. Além de se ter os movimentos mais variados. Tudo isso durante uma geração apenas. A participação dele na batalha contra o Paul foi fantástica, inesquecível. Gible foi outro que embora não tenha evoluído e tenha tido pouco tempo no anime, mandou muito bem. Tinha uma boa gama de movimentos, boas lutas em tão pouco tempo, com direito a boa participação na Liga de Sinnoh.

Quem viu sabe o quanto isso foi incrível

Quem viu sabe o quanto isso foi incrível

Mas essa temporada tem três defeitos. O primeiro é o Brock, que foi mais apequenado na história. O segundo é que teve muito, mas muito filler. Poderiam ter feito como na geração anterior, eles terem passado em Johto. Mesmo que fosse uma repetição, seria melhor que aquela quantidade de fillers. Sim, filler é um dos maiores problemas do anime de Pokémon, atualmente eu pulo todos. Não preciso ficar vendo filler só pra ver um Pokémon que não vai ser capturado por ninguém aparecer na série. Tanto que a Liga Sinnoh foi muito corrida, final de anime mais corrido que se teve.
Além do final dessa Liga ter sido o maior Deus Ex-Machina que existiu em toda a série.  Não queria que ganhasse? Eu entendo, mas não precisava esculachar.
Saí com a impressão de que, no final, Advanced Generations foi melhor. Mais objetiva e mais divertida.

Surpresas e decepções com essa imagem

Surpresas e decepções com essa imagem

Para Black & White eu tentei dar todas as chances: tinham ideias promissoras, mas a execução foi uma merda. É um anime que me reforça a ideia de que até hoje foi um erro tirarem o Brock, pra começo de conversa. A ideia de remeter à primeira temporada, tudo novo, uma pegada que lembrava Kanto, mas atualizada, é interessante. Mas não era pra ter repetido boa parte dos erros de Kanto. A começar pela personagem feminina péssima. Sério, não existe acompanhante do Ash mais chato que a Iris. O objetivo dela era o mesmo da Misty, além de ficar só chamando os outros de criança o tempo todo, sendo ela a mais imatura deles. Cilan foi um personagem estereotipado, também sem objetivo. Às vezes até dava umas dentro no meio de bolas foras que foi essa geração, mas não, não dá pra compará-lo com o Brock.

A ideia da rotação de times do Ash, tendo capturado vários Pokémon, foi ótima, mas a execução foi péssima. Isso deu vários passos atrás em relação aos Pokémon, como personagens, evoluções, técnicas novas e tempo de tela da maioria. Tirando Scraggy e Krookodile, os outros são esquecíveis. Oshawott acabou sendo só alívio cômico, Pignite foi mais pra menos, Boldore, idem, só que o menos foi maior ainda. Snivy, um Pokémon que poderia ter sido melhor, foi desperdiçado. Leavanny dá pra relevar, mas apareceu pouco. Ah, preciso falar alguma coisa de Unfezant e Palpitoad? Acho que não, né?

Até nas batalhas, essa geração deu passos pra trás. Também repetiu os erros de Kanto, Ok, o Ash comete burrices sempre, mas nessa geração ele ultrapassou limites. Não era o cara que treinava como nas duas gerações anteriores, e aquela luta dele com o Cameron foi pura vergonha alheia. Sem falar no visual do personagem, que até aparecer o de Sun & Moon, era o pior de todos.

Isso aconteceu em BW

Isso aconteceu em BW

O rival do Ash foi o mais tosco. Trip não era carismático, não fazia uma oposição boa e chegou a tomar fumo do Cilan e da Bianca (que deveria ter sido a acompanhante do Ash nessa geração), além de nem ter Pokémon interessantes no seu time. Duvido que a produção não tenha visto isso e, por consequência, mandou ele pra fora na primeira batalha da Liga, um 1X1 entre Pikachu e Serperior, colocando a luta Ash vs Stephan como a principal vitória do protagonista contra um rival na competição.

Pra não dizerem que sou um hater que não viu nada de bom, as Don Battles que aconteceram foram boas.

Equipe Rocket, uma ideia interessante, mas que depois foi jogada no lixo e voltou tudo à estaca zero. Já começa pela mudança de visual que foi até interessante, dando um ar sério a eles, saindo daqueles besteiróis que não levam a nada. Só que a execução não foi tão boa assim, sendo jogada no lixo no meio do anime.
E passaram, a partir dessa temporada, a não colocar a Equipe Rocket em todos os episódios. Foi um acerto de Best Wishes, que continuou em XY. Haviam episódios que eram estragados e perdia-se tempo pra ter a luta do dia contra a Equipe Rocket. Isso já deu. Eles são engraçados e carismáticos, mas não precisa ter Ash e amigos contra a Equipe Rocket todo santo episódio.

O pós-Liga foi o pior de todos. Mais de 20 episódios só pra derrotar a Equipe Plasma, nem confrontarem N foi legal. Decolora Adventures foi um título chamativo que não serviu para nada também. Sério, vá na Bulbapedia e veja os episódios entre BW123-BW142 que acontecimentos importantes aconteceram. Nada. Professor Carvalho pegar um Rotom e apresentação da Alexa não fazem a menor diferença. O retorno definitivo de Charizard foi muito pouco pra aguentar 34 episódios desse pós-Liga. Ainda mais se comparar com Liga Laranja e Battle Frontier.

Essa imagem dá um calorzinho no coração

Essa imagem dá um calorzinho no coração

Comentários Finais:

– Foi mal a demora, é que deu muito trabalho pra fazer esse post. Tive que dividir em 2 partes, colocar imagens pra ficar mais bonito e dar uma arrumada pra ficar minimamente decente.

– Amanhã vem a parte de XY pra poder concluir a minha opinião.

– Depois vem uma surpresa bem legal pra vocês.

Então é isso. Comentem o que acharam da primeira parte dessa resenha sobre Pokémon, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Um comentário sobre “OPM Opina #8.1: Pokémon XY, a melhor série da franquia

  1. Escritora disse:

    Saudações por esta postagem muito bacana sobre “Pokémon”. Fico feliz que seja dos poucos que acompanha o anime desde o começo, pois a maioria apenas acompanha mais os games. Primeiramente, acompanhei o anime em canal aberto e pude ver a fase clássica; Advanced (meio e final)/Battle Frontier e DP (dois terços): minhas favoritas são a clássica, apesar das falhas e a DP, em partes; a Advanced não foi toda ruim e fiquei meio sem graça com a Battle Frontier, porque o retorno a Kanto não foi o que pensava que seria, sabe, rever o pessoal que o protagonista conheceu e as cidades; DP foi boa e ruim, não me simpatizei com a Dawn de jeito nenhum, menina mais chata que já vi de companheira pro Ash, fora que os concursos ficaram muito fru-fru demais pro meu gosto com todos aqueles efeitos especiais, já o rival, este sim roubou a cena desta temporada.

    Num geral, “Pokémon” teve altos e baixos; no momento que calcou mais nos games, melhorou e muito em termos de roteiro e cronologia; a pior temporada foi mesmo a Black/White, porque as mudanças e o reboot foram muito mal aproveitados, não cheguei a ver,mas, acompanho meio que por fora e sei como foi a recepção. Até mesmo a audiência desta temporada não foi das melhores, só melhorando mesmo em XY/XY&Z.
    O anime tem uma série de problemas quando se trata de continuidade, pois a impressão é que o estúdio não sabe mais o que fazer com a história; fora que esta questão de recomeçar do zero está irritante demais, como se simplesmente fosse a melhor escolha voltar pro início, pra conquistar o público infantil que não viveu o seu começo. E isto ficou muito evidente na final da última Liga Pokémon, dando um verdadeiro balde de água fria aos que esperavam algo de longa data. Realmente, os roteiristas da série tem raiva declarada ao Ash, só pode pra terem feito o que fizeram.
    Sei que estes recomeços tem a ver com os games,mas, não davam pra manter certa continuidade e amadurecer os personagens? Pena que para “Pokémon” isto deve continuar acontecendo. E portanto, estou escrevendo uma fanfic da série, seguindo do ponto que fechou a fase clássica, misturando o que joguei nos games (via emulador até a 4ª geração) com o roteiro já apresentado do anime; quase chegando a Liga Pokémon do Planalto Índigo, fazendo o que faltou na Battle Frontier: tá uma história muito bacana, por sinal.

    Vou deixar pra falar da última temporada na próxima postagem, está bem? Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s