Versão Brasileira: One-Punch Man 4 – Panini

E aí pessoal, tudo bem com vocês? Bora rapidinho comentar sobre o volume de One-Punch Man que saiu mais recente pela Panini?


One-Punch Man: Volume 4

Já de cara somos apresentados nesse volume ao Bang, o terceiro colocado da classe S no ranking de heróis. Sabemos qual é o grande problema dessa vez e também da hipocrisia da Associação, que não informou nada pra ninguém e meteram o pé. Relendo o mangá, embora eu adore o personagem, a apresentação dele não me pareceu muito simpática. Pode ser coisa minha, já que da primeira vez que li e vendo o anime, não me lembro de ter tido esse sentimento.

O caso é mais um episódico com a mesma estrutura. Temos um problema apocalíptico, um herói (ou mais, como dessa vez) tenta resolver o problema, mas não faz nem cócegas, e aí surge o Saitama de uma maneira cômica e resolve de maneira heroica.
Foi ruim? Claro que não, fomos apresentados a personagens novos que são importantes para a trama, embora eu já tenha lido mais pra frente, a relação entre Saitama e Genos com Bang é algo importante, aprendemos que mesmo entre os heróis, tem gente que não é de confiança nem um pouco, e dois pontos principais. Primeiro a arte nesse capítulo está fantástica, uma das mais lindas de todo o mangá até o momento. É daquelas artes que você pode com orgulho pegar as páginas e usar em artes para capa de redes sociais e ficar admirando o dia inteiro. Segundo é claro, o Saitama destruiu com um soco a porra de um meteorito. Ele acabou com algo que ninguém tinha a capacidade, não sei nem se a Tatsumaki destruiria o meteorito.

Claro que o modo Saitama de destruir trouxe suas consequências. Mas é fato que evitou o pior. E é bem legal como isso é trabalhado. Os danos, os irmãos que usam camiseta (aqui no Rio a gente chama de camiseta, regata é coisa de paulista), a reação das pessoas, mas o melhor foi o modo como Saitama se defendeu. Ele não escolheu um dos modos, ele fez os dois, ele bateu nos heróis e peitou a população. Ele não tá nem aí para o povo, ele faz o que quer, ele é herói porque gosta e porque quer, não pra ter dinheiro, fama ou qualquer coisa do tipo.

E a outra metade do volume foi o início de um novo arco, que vai ser maior do que os anteriores. O arco do Monstro do Mar não é tão grande, mas ele tem mais tamanho do que esses primeiros. De novo somos apresentados primeiro ao perigo que é maior que os heróis do momento podem aguentar, mas aparece um novo personagem e um do início volta. Estou falando do Sonic e do Puripuri-Prisoner. Não temos só a apresentação dele, como também o capítulo extra que mostra a prisão e explicar tudo sobre ele, como é muito engraçado. Engraçadíssimo ver como os prisioneiros ficam com medo dele. O que é Sonic perto do Puripuri-Prisoner? Nada. O Sonic não vai comer o rabo deles.

Agora é só ficar no aguardo para receber o próximo volume que eu sei que é muito bom e comentarei dele quando tiver recebido e lido.

Comentários Finais:

– De novo um volume ótimo. Muito rápido de se ler, ótimas cenas de ação, piadas fantásticas, boas referências, e a arte mais linda do que nunca.

– Foi mal gente, não deu pra postar ontem. Tava morto de cansaço, dormi o dia inteiro assim que cheguei em casa.

– Amanhã combo duplo de Magi e no sábado Akame ga Kill! se tudo der certo.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s