Versão Brasileira: Zetman 1 – JBC

Olá pessoal, como vão? Tudo bem com vocês? Eu tava querendo muito fazer post sobre esse mangá, mas foi só agora que deu pra ler e finalmente estamos com o que a surpresa que eu tanto prometi. ZETMAN.


Zetman Volume 1

A história começa de uma maneira, que eu não sei se é no passado ou no futuro. Me desculpem pelo engano, porque fundo preto é flashback, mas na cena seguinte escreve “TREZE ANOS ATRÁS”.

Depois disso somos apresentados a um caso bizarro de pessoas morrendo sendo cortadas ao meio de uma maneira que ninguém sabe como e também a um grupo de mendigos. Mas o que interessa é onde estão os mendigos.

Primeiro temos Jin, que é o nosso protagonista, ele é como muitos heróis de mangá são, desde o início um rapaz forte, rápido e que vive cercado de brigas. Mas só que como Jin é um mendigo, ele procura proteger as pessoas entrando nas brigas para ganhar 10000 ienes (que vale quase 250 reais). Quanto à personalidade, achei ele bem legal embora nada que fuja muito do comum que são personagens do estilo dele.

Outro personagem importante é o “avô” de Jin, que descobrimos chamar Kanzaki. Apesar de ser um mendigo ele faz de tudo para ensinar Jin, tanto nos estudos quanto valores. Ele que vimos que sabe sobre o que é a marca na mão de Jin e também tem algum envolvimento com um velho chamado Amagi, que está procurando por Jin. Além de que o avô foi responsável pela cena mais dramática do volume.

Outra personagem que acho importante ressaltar é Akemi Kawakami, que de início parece ser só uma mulher qualquer que Jin salvou e que trabalha em uma casa que não é para meninos da idade dele. Mas só que a aproximação dos dois acaba sendo importante para o andar da história.

Quanto ao velho Amagi e os caras que estão com ele, não dá pra falar muito deles porque apareceram pouco, embora já deixaram a marca de que serão personagens que vão importunar Jin no futuro. Prefiro falar deles mais adiante, assim como da garotinha que gosta dele. Sei que nos volumes posteriores eu posso abordar melhor sobre eles.

O drama que é o grande destaque desse volume, a começar pela cena que envolve o avô do Jin, que é de partir o coração. Ainda mais como vemos toda a relação entre os dois, vê-los convivendo juntos e o que acontece depois.
E também como isso mexe com Jin e Akemi. Outra relação que gera vários sentimentos ao leitor.

Uma coisa legal nesse primeiro volume é como ele quebra expectativa. Na capa vemos um ser parecido com um demônio, monstro ou alien, o que quer que seja, só que ele só aparece mesmo nas primeiras duas páginas, mais nada. O que se mostra depois é no máximo um semblante e um ser em um laboratório parecido com ele. Quando normalmente é acontece uma transformação do protagonista em um ser desses logo no primeiro capítulo, no máximo em um capítulo que faça parte do primeiro volume.

Mas não aconteceu isso nesse primeiro volume. Pode até ser que alguns leitores de Zetman se decepcione com isso, mas eu não consegui ter esse sentimento. Muito pelo contrário, o ritmo rápido dos acontecimentos, boas cenas de ação protagonizadas pelo Jin e o modo como a história foi fluindo.

Acontecem poucos acontecimentos importantes para um volume, mas não me pareceu nada ruim, não me senti enrolado. Muito pelo contrário, me pareceu desde o início que o Katsura estava construindo uma história grande e planejando desde os primeiros capítulos. E sem falar que Katsura não usou o recurso do “monstro do dia” nos primeiros capítulos para mostrar como são os poderes do protagonista. E acredito que ele não fará isso nos volumes seguintes.

Comentários Finais:

– Acho que deixei bem claro que eu gostei muito de Zetman, né? Se tudo der certo, amanhã ou quarta eu terei lido o segundo volume e feito a review dele.

– Outro ponto que eu tenho que elogiar é o traço do Katsura que me simpatizou bastante.

– Sobre a JBC. Vi muitos reclamando do preço, que não valia a pena, nem o formato. OK, concordo que R$17,50 é um pouco pesado. Talvez poderia ter sido R$16, 50 ou até mesmo R$15,90. Mas o pessoal tem que ter ideia de que R$14,90 é preço de Terra Formars, mas foi como eu falei com o pessoal daqui. Existem mangás que vão vender mais, que são os shonens populares como Magi e Nanatsu (que custam R$12,90) e outros que venderão menos por conta de classificação etária, popularidade, são mangás de nicho. Sem falar que existe o papel, formato, número de páginas, no caso de Zetman é um mangá com umas 250 páginas, quando os volumes dos shonens populares não chegam a 200 em média. E quem falou que Zetman tá com papel de jornal está falando merda, ou é desonesto. O papel é o brite 52g, e mesmo eu que não entendo vi que não é papel de jornal. Até mostrei o papel pra minha mãe, que disse que parece ser um tipo de papel reciclado, e que se for, é mais caro. Como eu não entendo de papel, não posso afirmar, mas dizer que a JBC jogou um papel vagabundo, isso é mentira.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s