Versão Brasileira: Tokyo Ghoul 1 – Panini

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Lembram que eu disse que teríamos review de um mangá novo? Então, estamos aí com esse que é um dos principais sucessos recentes, Tokyo Ghoul.


Tokyo Ghoul Volume 1

Um ano depois da primeira temporada do anime estrear no Japão, o mangá de Sui Ishida chega ao Brasil, o lançamento foi no Anime Friends desse ano, se não me engano foi no mesmo dia em que eu comprei, no dia 17. Comprei junto com VG e Diddy (único que não comprou este título) lá no stand da Comix, que mesmo cedo tinha uma fila grandinha para pagar. Compramos com desconto, o preço normal é R$ 12,90 e pagamos R$ 10,50 e ainda ganhamos de brinde um poster e um marcador de páginas. E esse foi o único título dos que eu comprei (fora Don Drácula) que valeu mais a pena comprar lá do que na Fest Comix. Na Fest tava por R$ 10,30, 20 centavos apenas de diferença, então valeu ter comprado no stand da Panini mesmo.

Uma pena é que um título tão popular quanto este a Panini não ter colocado para assinatura, não só porque eu sou a favor da Panini disponibilizar assinaturas de tudo como a JBC, mas é um dos títulos mais procurados e pedidos. Acredito que vá vender muito bem.

Quanto à história do primeiro volume. Ela é bem fiel aos primeiros episódios do anime, nela conhecemos o protagonista Ken Kaneki, que adora ler, cafeteria, tudo no típico ambiente de certos mangás da atualidade, que tem esses clichês que agradam uma parte do público atual, café, tsundere, personagem banana, e por aí vai.

Kaneki nesse início é um personagem verossímil ao meu ver, primeiro vemos ele como o típico leite com pera, e depois do que acontece com ele, sério, faz todo sentido as reações dele. Imagina você que assim como eu, adora comer, come tudo que há de gostoso e do nada, por causa de um acidente horroroso no qual você quase morreu, só não morreu porque a sua caçadora foi pega de uma maneira bizarra com um monte de vigas caindo em cima dela, sério, isso pareceu solução de cartoon, você não pode nunca mais comer nada na vida, exceto carne humana.

Na boa, pra qualquer um o choque seria igual ou até pior.

O melhor amigo do Kaneki é Hideyoshi Nagachika. Inicialmente se mostra como o típico amigo metidinho que não vai ter importância no futuro e no máximo de alívio cômico, mas é aí que sai o clichê. Nagachika é um personagem que se mostra já nesse primeiro volume um excelente observador e que não pode ser subestimado.

Touka Kirishima é a típica tsundere, já aviso que não gosto desse tipo de personagem e já assisti a primeira temporada do anime, a segunda tô na metade (e sim, sei que na segunda temporada tem muitas diferenças pro mangá) e até hoje ela não me agradou. Nessa parte ela confrontou Kaneki, por ter falado que os ghouls eram aberração dentre outras ofensas que não se fala na frente de um ser capaz de te matar antes de você piscar. Mas já deu pra entender que mesmo sendo uma tsundere chata, a intenção nesse confronto foi de humanizar os ghouls e quando Touka fica extremamente irritada com Kaneki, ela tem razão e motivos, pelo menos do ponto de vista dela. Ela não pediu para nascer assim, ela só pode viver assim e já adianto que ela é uma ghoul que não quer ser um terror para a humanidade, o contrário, ela quer é se adaptar e viver em paz com os humanos, assim como os outros ghouls da Anteiku.

Yoshimura ainda não dá pra falar muito dele como personagem só nesse primeiro volume, embora dar carne de graça para ghouls que não querem  sair matando os outros ou caçando cadáver é, por mais bizarro que pareça, um altruísmo raro. Confesso que achei isso tudo interessantíssimo dentro da história.

Nishio foi o primeiro grande babaca encontrado no mangá, o personagem que parece que foi feito pra ser detestado, embora ele faz o Kaneki lutar pra valer pela primeira vez. Se teve algo de bom que ele fez, foi irritar o Kaneki ao ponto dele enfiar a porrada nele e liberar a sua Kagune. Kaneki é um banana mas foi lindo ver o que ele fez com Nishio.

Não é o meu mangá favorito e nem está entre os meus favoritos da atualidade, mas gostei de ler o mangá, vou continuar acompanhando com boa vontade, dá pra ler bem rápido e sem ser um mangá raso de informações, diálogos e ações, sei que é chato falar de papel, mas o papel da Panini tá bom e parece que é um papel novo porque o mangá foi impresso em uma nova gráfica. Até onde eu percebi, capa e papel estão bem OK, não tenho do que reclamar. A tradução também tá boa, e até o glossário que a Panini adora colocar não tá gigante, tem só uma página, Recomendo que comprem e continuarei a fazer a Versão Brasileira de Tokyo Ghoul até o final.

Comentários Finais:

– Era pra ter soltado ontém essa review, mas só que eu tava morto de cansaço e quase gripando. Me desculpem.

– O Anime Friends foi bem legal, embora eu comprei mangá mesmo foi na Fest Comix, é o melhor evento do Brasil para comprar mangá, HQ, Graphic Novel e etc. Em um outro post falarei melhor dele.

– E só avisando que eu mesmo farei da Versão Brasileira de mais 2 títulos. Um deles é capaz de sair até nessa semana.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Mandem críticas e sugestões, caso tenham. E até a próxima pessoal.

Curta o Otaku Pós-Moderno no Facebook | Siga o Otaku Pós-Moderno no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s