Versão Brasileira: Berserk 3 – Panini

E como não poderia faltar. Vamos comentar o último volume de Berserk, esse mangá que cada volume que leio eu fico mais fã.


Berserk Volume 3

Impressionante como Berserk, pelo menos até aqui, melhora a cada volume. Cada volume que leio, é um mais empolgante que o outro. Antes de mais nada, tenho que deixar claro que eu já vi o anime sim, conheço o arco da Era de Ouro e sei o que acontece. Acho até que por causa disso que eu me surpreendi com o desfecho do que aconteceu nesse volume.

Me surpreendeu que os God Hand apareceram logo de cara. E eu não sabia o que esperar do reencontro de Guts com eles, principalmente com Griffith, ou melhor, Femt. Quando se vê pela primeira vez a partir do mangá, se começa odiando ele mesmo. E todo aquele clima que tá, o protagonista finalmente encontra aqueles que quer destruir, mas não tem como fazer isso. Por outro lado ele tá com sorte de que não pode mais ser sacrificado. A presença dos God Hand é algo bem digno de vilões principais da história. São feios, sujos, intimidadores, e não dá pra ver um modo com que eles sejam derrotados, ainda mais sendo 5 x 2 (contando com Puck).

Não iria ficar quieto sem descrever os God Hand, Marte Ataca, gordinhos, Medusa e Batman Travesti.

Outro ponto alto do volume foi o flashback do Conde, que foi o que se esperava de uma trama como Berserk, chocante, grotesco, bizarro, e claro que bem feito e tirando o leitor da zona de conforto. A história do Conde, tanto passado quanto o destino dele, te leva aos sentimentos de pena, nojo e raiva. Mas pelo menos, no final, o Conde acabou sendo humano. Ao menos ele acabou prestando como pai, pelo menos.

Quanto à Terezia, na boa, é se iludir em querer culpar Guts pelo destino do pai dela, quando no momento em que ele se envolveu com os God Hand, como acontece muitas vezes em Berserk, o destino dele estava traçado. E ele até acabou rompendo o fio do destino justamente no final, pelo menos tendo um pouco de dignidade no fim. Pelo menos isso. Mas de resto, o que aconteceu foi culpa dele sim. Ele foi sacaneado, sempre amou a própria família, porém ele fez essas escolhas. Tanto que no final ele escolheu morrer por ser pai.

Guts cada volume que eu leio, eu me interesso mais ainda por ele. No início nós o vemos como um escroto badass que não se importa com nada, fazendo os brucutus dos filmes de ação dos anos 80 parecerem escoteiros perto dele. Nessa parte tem muito disso ainda, porém depois desses eventos todos, nós o vemos de uma maneira diferente, bem surpreendente o comportamento dele no final desse arco. Sem falar que dar um tirambaço com uma arma escondida no braço mecânico foi do caralho. Mesmo que não tenha sequer arranhado o Femt/Griffith, mas foi legal e surpreendente.

E de agora em diante, veremos a Era de Ouro, o único arco que foi adaptado em animes, que acredito que seja o mais conhecido. E mal começou esse arco, já tivemos coisas bem tensas. Esse é Kentaro Miura, ele entra com os dois pés na porta e quebrando tudo.

Comentários Finais:

– Não preciso dizer que esse volume foi do cacete, né? E o trabalho da Panini se manteve ótimo também.

– Amanhã eu vou postar as reviews dos capítulos que eu li, sem falta.

– Sei que é chato pedir isso, mas divulguem o nosso blog.

Então é isso. Comentem o que acharam do volume e da review, se gostaram ou não, podem comentar. Curtam a nossa página no Facebook, sigam a gente no Twitter, mandem críticas e sugestões caso tenham.
Até a próxima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s