Review Fairy Tail 382: Alegria


AVISO: Não deixei passar Hunter x Hunter, hein! Por motivos de tempo e conveniência, terça ou quarta-feira trarei uma dupla review dos episódios 126 e 127! (Sim, a imagem quebra-clima foi proposital, rs)

____________________________________

É, amigos… leitor de Fairy Tail sofre.

Review Fairy Tail 382: Alegria

Com o perdão do trocadilho, alegria foi uma coisa que eu não senti lendo esse capítulo. Primeiro temos a Kyouka se explicando pro ~vice-mestre~ (se é que podemos chamar assim) da Tartaros, que até agora não convenceu como personagem, apesar de pouca abordagem nele. Numa daquelas cenas bem padrão de battle shounen, o vilão esnoba as falhas como se tivesse tudo sob controle. Detalhe: Nessa conversa, ficamos sabendo que Seira já foi derrotada, ou seja, mais um desfecho de luta sumariamente ignorado pelo Mashima. E olha que ele botou uma carga dramática grande nessa luta. Vai entender…

E em outra daquelas cenas bem padrão de battle shounen, o chefão tortura a subordinada com galhos com espinhos que surgem sabe-se lá de onde, olha como ele é cruel, gente. Só não vou crucificar totalmente essa parte porque ela trouxe uma informação importante(ou pelo menos deu pra deduzir isso): Pra reviver END, o final boss, é preciso que o poder mágico desapareça, dando espaço ao poder das maldições, o qual seria necessário para reviver o dito cujo. Parece que há um equilíbrio de poderes no universo de Fairy Tail. Por último, o vilão fala em usar a maldição Alegria.

Voltando com o foco na Fairy Tail, temos uma conferência wi-fi entre os membros utilizando o muito útil, mas convenientemente esquecido poder de Wallen, que pode criar praticamente um Skype telepático, fazendo conexões entre as pessoas que ele quiser. Todos se acalmam, tudo é explicado e Happy avisa a Makarov sobre a mensagem de Hades. Tudo parece bem, mas eis que Mard Geer, o chefão, invade a conferência dos magos, faz aquele discursinho malvado básico e usa a tal Alegria. Todos os que estão dentro do cubo, exceto os demônios, são “sugados”, se fundindo a teto, paredes e chão da estrutura. Com o poder obtido com a sucção, o cubo se transforma é uma criatura bizarra com patas e dentes e sai andando por aí(em um terreno limpo de qualquer resquício de cidade, convenientemente).

Só que os demônios notam que há um mago que não foi pego por Alegria. Quem será, quem será? É claro que o Mashima não poderia nos dar uma surpresa maior que revelar que Lucy é a maga remanescente. Logo a nossa protagonista…que coisa, não? Fim de capítulo.

Comentários Finais:

– Esse foi um dos piores capítulos desse arco, putz.

– Espero de coração uma explicação lógica(no universo de Fairy Tail, óbvio) de como a Lucy foi a única que não foi afetada. Se a “explicação” for essa que teve de “uma chance em um bilhão de escapar” vai ser complicado de engolir.

– Vamos ver se a Lucy finalmente consegue se virar sozinha. Depois do timeskip, a loirinha apanhou mais do que bateu.

Fico por aqui, abraço!

Curta nossa página no Facebook!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s